Guia de Destinos

7 motivos para conhecer o Deserto do Atacama agora!

O Deserto do Atacama é único. Pense num lugar em que, no verão, você pegará temperaturas próximas a 40º, mas que, nesse mesmo dia, esbarrará em -8º também. Muito louco, não? Sem falar na cultura milenar e mantida até hoje, no contato com animais selvagens (mesmo que de dentro da van), na quantidade absurda de vulcões para tudo quanto é lado! Esse é o Deserto do Atacama e aqui você descobrirá, pelo menos, 7 motivos para conhecer agora!

Dica! A primeira grande promoção de passagens aéreas 2018 já aconteceu! Não perca as próximas, curta nossa página no Facebook ou siga-nos no Instagram!

1. A explosão de cores

Não, não é um deserto comum. Não tem areia para todos os lados e, por isso, não é um deserto com tons alaranjados. O Atacama é um mix de cores: verde, depois azul, depois rosa, depois branco e, às vezes, tudo junto e misturado. Você fica extasiado! Na verdade, você ficará extasiado o tempo todo enquanto estiver por lá. É só continuar a descobrir os 7 motivos para conhecer o Deserto do Atacama!

paisagem no deserto do atacama

2. As lagunas altiplânicas

deserto do atacama
Laguna Miscanti

As Lagunas Miscanti e Miñiques, uma ao lado da outra,  e formadas há milhões de anos em função dos vulcões existentes por lá, estão localizadas na Reserva de los Flamencos administrada pela Comunidad Atacameña de Socaire (é preciso pagar uma taxa para entrar na reserva de COP 5.000,00, além do que você já tenha pago à agência para o passeio). Mas vale cada centavo. É um lugar sem igual em matéria de silêncio e paz. Mesmo apinhado de turistas, você consegue se conectar com a natureza e o lugar. É quase como algo divino e, acredite, se você se permitir, no Atacama essa ligação com o divino estará presente por todos os cantos. Isso porque as experiências mexem com nossos sentidos e nossas barreiras físicas e emocionais. É preciso permitir que a aventura e a mágica aconteçam. Em qualquer idade!

atacama
Laguna Miñiques

Mas, voltando ao passeio,  as empresas que levam os turistas lá costumam oferecer o café da manhã na Laguna Miñiques. É ou não é um café único com esse visual de fundo?

As lagunas estão a, pelo menos, 4.160m acima do nível do mar. Então, todo cuidado é pouco com a altitude por aqui e em qualquer outro lugar da região: masque folha de coca ou chupe a bala vendida em qualquer esquina (tem até sorvete!). É um teste de resistência mesmo e você viverá vários deles se quiser aproveitar para conhecer o Deserto do Atacama em sua essência. Não disse que era um teste físico? Vá agora vivê-lo! Não deixe para depois. Tome remédio para dor de cabeça ou enjoo, mas supere os obstáculos!

3. Salar do Atacama

deserto do sal chile

Preparado(a) para o 3º maior deserto de sal do mundo, atrás apenas do de Uyuni, na Bolívia, e o de Salt Lake City, nos EUA? Pois é, nada de areia e paisagem laranja. Por aqui é tudo branquinho (cuidado com o sol!), com crostas de cristais de sal de até 70cm de altura, só que com flamingos coloridinhos, que se espalham na Laguna Chaxa, por conta do tipo de camarão do qual eles se alimentam (as artêmias).

flamingos deserto atacama

A entrada do Salar está inclusa naqueles COP 5.000,00 que você pagou para entrar na Reserva lá atrás.

 4. Laguna Cejar e Ojos del Salar

Taí uma experiência que todo mundo deveria ter uma vez na vida! Assim como o Mar Morto na categoria concentração de sal, a Laguna Cejar, apesar dos seus mais de 20m de profundidade (há controvérsias), não te permite afundar. É muito divertido, mesmo para quem não sabe nadar. Você tentar afundar e bóia! Mas lembre-se de levar um sabonete e toalha de banho para tirar o excesso de sal depois. E, acredite, a sensação pós laguna é uma delícia, um grande relaxamento!

Os Ojos del Salar (ou Ojos de Tebinquiche), assim como a Laguna de mesmo nome também fazem parte desse passeio. Os Ojos foram formados por água doce que ninguém sabe como chegaram ali. Só entre aqui se souber nadar, ok?

A Laguna Tebinquiche fica logo ali e é lá que o passeio termina com direito a brinde com pisco para apreciar o pôr-do-sol e agradecer por um dia incrível. Reparou que o nome é laguna? Mas não tem água! É mais um enorme lago de sal, que de tão resistente parece neve!

 

5. Gêiseres del Tatio

Para esse passeio é preciso madrugar, lá pelas 4 da manhã a van estará passando. Acredite: você sentirá muito frio, mesmo no verão. É a hora daqueles -8º, sabe? E só madrugando para conseguir ver os gêiseres no campo geotérmico del Tatio. É quando a magia acontece: o vapor é mais intenso e ocorrem os jatos d’água fervendo. Os gêiseres são grandes colunas de vapor, que passam para a superfície através de fissuras, e são formadas por rios gelados subterrâneos que entram em contato com rochas quentes dos vulcões. Taí a magia!

Mas para isso a temperatura exterior tem de estar bem baixa. Eis o motivo de temos de sair de madrugada para dar tempo de assistir o espetáculo, já que são 1h de viagem até lá.

É preciso pagar uma taxa de COP 10.000,00 para entrar nos Gêiseres.

6. Piscina Geotermal

Tá achando que as experiências acabaram? Ainda tem a piscina geotermal, com jatos d´água com mais de 80ºC, mas com temperatura exterior de -8º também! Não é para os fracos, mas lembre-se que você veio ao Atacama para conhecer e vencer todos os seus obstáculos e sair de lá realizado (a).

7. Pueblo Machuca

Ok, aparentemente é só um povoado pega-dinheiro-de-turista com 7 habitantes. Mas se você olhar ao redor, verá lá em cima do morro uma igrejnha e, se você tiver durante todo esse tempo se conectado com o divino, ali, depois de quase ter um treco para chegar por conta da altitude, será a hora de agradecer por suas experiências, pelos obstáculos vencidos, pelas emoções vividas e pela sorte de ser uma das pessoas que se permitiu viver o Atacama em toda a sua grandiosidade e beleza! É uma igrejinha simples, mas mágica!

Dica

Beba água: lá é muito seco e tem o efeito da altitude.

E aí: se convenceu a conhecer o Deserto do Atacama?