Notícias

China iniciará testes de vacina contra coronavírus

Uma equipe epidemiológica de médicos da Academia de Ciências Médicas Militares da China desenvolveu uma vacina experimental contra o novo coronavírus. O pronunciamento foi realizado na terça-feira (17).

O epidemiologista Chen Wei liderou a equipe que, segundo ele, “criou a vacina com sucesso” e que “está pronta para ser produzida em larga escala”. O Ministério de Defesa chinês já concedeu aval para a realização de testes clínicos em humanos.

No momento, 108 pessoas saudáveis estão sendo recrutadas pelas autoridades para participar do teste. Elas serão responsáveis por confirmar se a vacina é, de fato, segura para ser aplicada em humanos.

Similarmente, outra vacina está sendo desenvolvida utilizando os vetores da gripe como base. Ela se encontra em fase de testes experimentais em animais no momento. Os testes clínicos em humanos estão previstos para começar apenas em abril. As universidades de Pequim, Tsinghua e Xiamen vão participar do procedimento.

A OMS afirmou que não espera que nenhuma vacina 100% testada e aprovada seja lançada ao público até metade deste ano.

Os Estados Unidos também estão desenvolvendo vacina

Autoridades norte-americanas anunciaram que testes para uma nova vacina contra o coronavírus começou na segunda-feira (16). Eles fazem parte de um estudo que envolve a participação de 45 voluntários entre as idades de 18 a 55 anos. Todos estão completamente saudáveis e serão acompanhados por seis semanas. Entretanto, até que a vacina esteja devidamente testada e finalizada pode levar meses ou um ano.  

Testes de diagnóstico

O diretor da Comissão de Ciência e Tecnologia de Xangai, Zhang Quan, anunciou que três produtos novos estão sendo usados para o diagnóstico do novo coronavírus.

No Brasil, uma equipe do Laboratório de Estudos de Vírus Emergentes do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) iniciou a elaboração de um teste para detectar o coronavírus. Os pesquisadores estão utilizando a amostra do primeiro paciente infectado no país. 

Queda no registro de novos casos em Wuhan, China

A província chinesa de Hubei, onde foi registrado o primeiro caso de Covid-19, teve apenas um caso novo na terça-feira (17). Agora, as infecções no exterior superam o número de transmissões na China.

Para conter a disseminação do coronavírus, todos que chegavam ao país foram isolados por 15 dias. Fábricas, estabelecimentos comerciais e instituições acadêmicas também foram fechados. A quarentena e os tratamentos precoces foram os principais agentes na contenção do coronavírus no país.

Casos continuam a subir no Brasil

Foram registrados 399 casos de coronavírus em território brasileiro nesta quarta-feira (18) (atualizado em 18h30) em 19 estados e no DF. O número de mortos em São Paulo subiu para três, todos são pessoas acima de 60 anos.

Novas medidas preventivas foram tomadas em diversos municípios para promover o fechamento do comércio, suspensão de atividades acadêmicas e circulação de transporte público, entre outras. A recomendação é para ficar em casa o máximo possível.

Um novo relatório da Organização Mundial da Saúde mostrou que apenas alguns casos de coronavírus são realmente fatais. A maioria dos pacientes se recupera. Cerca de 80% dos casos confirmados apresentou sintomas leves a moderados. O maior grupo de risco continua sendo idosos e pessoas portadoras de doenças crônicas, como diabetes, hipertensão, câncer, doenças cardiovasculares, entre outras.

(Artigo atualizado em 18/03 às 18h30).