Notícias

Voos internacionais: fronteiras fechadas e pessoas à deriva devido ao coronavírus

Para conter a rápida disseminação do coronavírus, diversos países fecharam as suas fronteiras. As companhias aéreas brasileiras já haviam tomado a decisão de suspender muitos voos internacionais nas últimas semanas. Agora, com as fronteiras fechadas, os viajantes de plantão deverão esperar para colocarem seus planos de viagem em prática.

Quais países fecharam as fronteiras?

A União Europeia proibiu a entrada de estrangeiros por um período de 30 dias. A medida foi anunciada pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, na segunda-feira (16). Exatamente 27 países estarão com as fronteiras fechadas para viagens internacionais. Países da zona Schengen (que estão fora da UE) também acataram a medida.

As exceções da regra são cidadãos europeus, residentes e familiares, cientistas, profissionais de saúde, diplomatas, e em casos de emergência.

O Canadá também anunciou na segunda-feira que apenas permitirá a entrada de cidadãos e residentes. Apenas tripulantes de aeronaves, familiares, cidadãos norte-americanos e diplomatas podem atravessar as fronteiras.

Países da América do Sul também decidiram restringir a entrada de estrangeiros com o fechamento temporário das fronteiras.

A Argentina também concordou em fechar as fronteiras por 15 dias a todos os não residentes. O Brasil está na lista de países de risco de contágio, por isso, quem pensou que poderia aproveitar as viagens no continente de casa, também precisará remarcar os planos.

A fronteira entre Paraguay e Brasil, em Foz do Iguaçu (PR), foi fechada na segunda-feira (16), impedindo a entrada de brasileiros. Apenas paraguaios podem atravessar a Ponte Internacional da Amizade, porém, somente em horários estipulados pelo governo.

Outros países que adotaram a medida até o momento são: Equador, Chile e Peru. As fronteiras dos países sul-americanos devem se manter fechadas por, pelo menos, 15 dias.

Quais países apenas restringiram a entrada de estrangeiros?

Em fevereiro, os Estados Unidos já haviam anunciado que impediriam a entrada de pessoas vindas da Europa e da Ásia, especialmente de residentes da zona Schengen.

A Austrália se juntou a decisão na época, especialmente por receber uma quantidade alta de turistas asiáticos com frequência. A Nova Zelândia seguiu o exemplo e restringiu a entrada de viajantes no domingo (15). 

Viajantes que chegarem de outros destinos deverão permanecer em quarentena de, pelo menos, 14 dias nos países acima.

Já na América Latina, a Colômbia e o Uruguai decretaram apenas fechamento parcial e restringiram a entrada de turistas da Europa e da Ásia. Quem chegar de países asiáticos e da Itália, França e Alemanha, deverá permanecer em quarentena por 14 dias.

O que aconteceu com os brasileiros nesses países?

Muitos brasileiros que faziam turismo em países europeus e sul-americanos foram pegos de surpresa por esta medida preventiva.

Com aeroportos fechados, se tornou impossível retornar ao Brasil. Os poucos países que mantiveram as fronteiras semi-abertas enfrentaram aeroportos lotados e tiveram esgotamento de passagens aéreas, dificultando a saída de muitos brasileiros.

A recomendação para quem está preso no exterior é para seguir as orientações de quarentena das autoridades dos países. As embaixadas e consulados devem ser visitados para que seja possível tirar dúvidas, e receber notícias sobre decretos oficiais e atendimento consular. Até o momento, não foi possível estimar quantos brasileiros estão presos no exterior.

As informações deste artigo foram atualizadas em 17/03 às 08h21.